Economia

Preço do feijão subiu 58,72% em junho, diz FGV

feijaoDe acordo com o superintendente-adjunto para inflação do Ibre/FGV, Salomão Quadros, uma estabilização dos preços do feijão só deve ocorrer ao final de julho. Em junho, o feijão (em grão) variou 58,72%, o principal impacto no IPA de junho.

No mês anterior, a alta de preços havia sido de 7,34%. A razão é um choque de estoques em função dos baixos resultados da segunda safra do feijão, em maio, devido a fatores climáticos.

Brasileiros já pagaram este ano R$ 1 trilhão em impostos e taxas

combustivel_dinheiroO impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), localizada na região central da capital paulista, atingiu hoje (5), às 13h30, a marca de R$ 1 trilhão, valor que abrange o total de impostos, taxas e contribuições pagas pela população brasileira nos três níveis de governo (municipal, estadual e federal) desde 1º de janeiro de 2016.

Segundo a ACSP, no ano passado esse valor foi alcançado no dia 29 de junho e o atraso deste ano está associado à queda na arrecadação, decorrente da crise que atinge o país e enfraquece a atividade econômica.

“Mesmo com esse enfraquecimento, o painel chega a R$ 1 trilhão em função do avanço da inflação. Com preços mais altos, o consumidor desembolsa, também, maiores valores em impostos, já que esses são calculados sobre o preço final das mercadorias e serviços”, diz a ACSP.

Gastos federais com servidores do Judiciário cresceram 112% em 20 anos

No início deste mês de junho, a Câmara dos Deputados aprovou 15 projetos de lei com aumentos e gratificações para o funcionalismo federal. Com a medida, voltou à tona o debate sobre a remuneração dos servidores do Judiciário, que terão um reajuste previsto de 41%. Ainda segundo os projetos, será aumentada uma gratificação que praticamente todos esses servidores recebem e que passará de 90% para 140% do salário-base. Além disso, os projetos permitem que quem tenha curso superior receba um adicional de qualificação.

Levantamento publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo mostra que o aumento real foi de R$ 120 bilhões no custo do funcionalismo federal em 20 anos, em valores referentes a dezembro de 2015. No ano passado, a folha de pagamento dos mais de 2 milhões de funcionários da União chegou a R$ 262 bilhões. Na comparação entre Poderes, no entanto, nenhum registrou maior crescimento do que o Judiciário. Em 1995, os servidores e magistrados do Judiciário federal custavam aos cofres públicos R$ 9,5 bilhões por ano, em valores atualizados pelo IPCA acumulado no período. Nos últimos 12 meses, esse valor passou para R$ 34,8 bilhões. Um crescimento, portanto, de mais de 260%.

Parte desse crescimento pode ser atribuída ao aumento no quadro de funcionários, que quase dobrou no período. O gasto médio, porém, por servidor no Judiciário também aumentou acima da média da União. Em 1995, cada funcionário representava um custo mensal de R$ 12,3 mil, em valores corrigidos, valor que saltou para R$ 26 mil nos últimos 12 meses – menos apenas do que custam os do Legislativo, incluindo parlamentares (R$ 30 mil, em média).

40% dos brasileiros entre 18 a 95 anos estão com restrições de crédito

contas1O número de consumidores brasileiros com idade entre 18 e 95 anos que estão inadimplentes e com o nome registrado em serviços de proteção ao crédito chegou, em maio, a 59,25 milhões, o equivalente a 39,91% da população nessa faixa etária. Os dados, divulgados hoje (16), são do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

De acordo com o indicador, no mês passado, 50 mil pessoas foram inscritas nos cadastros de restrição ao crédito. O aumento, no entanto, foi pequeno em relação ao que ocorreu no mês de abril, quando 500 mil brasileiros tiveram o CPF negativado.

Entre os adultos de 30 a 39 anos, a proporção inscritos no cadastro de restrição a crédito ultrapassou a metade: 50,32% ou cerca de 17 milhões de consumidores. O cadastro impõe dificuldades para realizar compras a prazo, fazer empréstimos, financiamentos ou obter crédito.

Governo do Estado garante pagamento dos servidores para os dias 7 e 8

Em meio à crise de arrecadação, o governo de Pernambuco, em 2016, só divulgou o calendário de pagamento de salários do primeiro quadrimestre, isto é, até o mês maio, correspondendo aos dias trabalhados em abril. Mas em nota, a Secretaria de Administração de Pernambuco afirma que o pagamento referente ao mês de maio dos servidores do Estado será efetuado a partir da próxima terça-feira (07).

Tabela: Já em relação à tabela de pagamento, esta será divulgada mês a mês. O fato gera insegurança nos trabalhadores e faz lideranças sindicais cobrarem uma definição urgente da Secretaria Estadual de Administração. A rede estadual tem 200 mil servidores e uma folha que custa R$ 800 milhões mensais.

Confira a nota: A Secretaria de Administração informa que o salário do mês de maio dos servidores do Estado será pago no próximo quinto dia útil do mês de junho, ou seja, o pagamento acontecerá no dia 07 de junho para todos os Ativos e Inativos e no dia 08 será para os comissionados.

Flores: Prefeitura credita pagamento de maio nas contas dos servidores

Pagamento_2O presidente interino Michel Temer sancionou nesta terça-feira a lei que torna obrigatório o uso de farol baixo em rodovias durante o dia. Quem desrespeitar a nova regra, que alterou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), ficará sujeito a multa de R$ 85,13, além de receber quatro pontos na Carteira de Habilitação.

Manter os faróis acesos em luz baixa durante o dia já era medida obrigatória a ônibus, ao circularem em faixas próprias, e às motos. Para os carros, a obrigatoriedade ocorria dentro de túneis, independentemente do horário.

O valor da multa, porém, irá aumentar a partir de novembro, quando o governo reajustará os preços – infrações médias, como a do farol baixo nas rodovias, vão crescer 52% e passarão a cobrar R$ 130,16.

A medida sancionada nesta terça-feira já havia sido sugerida pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

De pires nas mãos, prefeitos vão buscar recursos com Temer

pires (1)Reunidos em Brasília, 19 prefeitos pedirão hoje (18) ao ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, a continuidade do diálogo entre municípios e a Presidência da República, agora sob o comando do presidente interino Michel Temer. O grupo apresentará ao ministro uma lista com 35 demandas consideradas urgentes pelos gestores locais.

 

Lojas Americanas tem prejuízo de R$ 23,9 milhões no primeiro trimestre

ter americanasA Lojas Americanas teve prejuízo de R$ 23,9 milhões no primeiro trimestre, ante lucro de R$ 22,2 milhões no mesmo período do ano passado, informou a varejista nesta quinta-feira.

A despesa financeira da companhia aumentou 40,2% na comparação com o primeiro trimestre de 2015, para a R$ 478,1 milhões, principalmente pelo aumento da taxa de Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

Já a receita líquida caiu 4%, a R$ 3,9 bilhões, apesar da Páscoa — data importante para vendas do comércio — ter ocorrido neste ano no primeiro trimestre.

“A expectativa por um cenário econômico desafiador em 2016 está se confirmando nesse início de ano”, disse a varejista em comunicado.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado foi de R$ 509,3 milhões, alta de 11,2%.

A Lojas Americanas manteve as projeções do plano de expansão, com a abertura de dois novos centros de distribuição e 800 novas lojas no Brasil no período de 2015 a 2019. Até o momento, foram inauguradas oito unidades e há mais de 95 contratadas ou em estágio avançado de negociação, disse a empresa.

Por causa da crise, Dia das Mães será o mais econômico desde 2007

presente natalAs mães devem esperar presentes mais simples e mais baratos dos filhos neste domingo (8), de acordo com a Sondagem do Consumidor, especial Dia das Mães, divulgada hoje (6) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O levantamento aponta que, por causa do pessimismo em relação à situação financeira das famílias, o consumo na data comemorativa este ano será o menor desde o início da série histórica, em 2007.

Em 2015, 39% dos consumidores pretendiam gastar menos que ano anterior. A proporção subiu 13 pontos percentuais e este ano, 52% dos filhos pretendem investir menos no presente. Apenas 3% querem gastar mais que no ano passado, metade do percentual de 2015 e o menor índice desde 2007.

A cautela do consumidor em relação às compras é observada em todos os níveis de renda, de acordo com a pesquisa. As famílias com renda familiar até R$ 2,1 mil apresentaram os números mais conservadores: 64,5% dos consumidores nessa faixa pretendem gastar menos este ano com os presentes. Em 2015, eram 46,7%.

Escalada do desemprego e da inflação castiga os brasileiros, revela índice

tumblr_lrqpapi0Gx1qeg3bco1_5001

Com a deterioração da economia, a qualidade de vida da população brasileira teve forte queda nos últimos meses, como mostra um indicador que une a situação do mercado de trabalho ao comportamento dos preços. O chamado índice de mal-estar ou taxa de desconforto — que em inglês tem o nome de misery index — saltou de 15,59% em março de 2015 para 21,05% em março de 2016, segundo cálculo feito pelo economista-chefe do Banco Fibra, Cristiano Oliveira. É o maior nível desde o início da série histórica, que começa em 2012, junto com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua. Em dezembro de 2014, era de 13,01%.

Folha de pessoal compromete estados

dinheiro2A despesa com a folha salarial dos servidores nos 26 estados mais o Distrito Federal cresceu mais que os gastos com os juros da dívida com a União entre 2009 e 2015. É o que mostra um estudo do ministério da Fazenda. O Governo usará o documento para embasar sua defesa na disputa que chegou ao STF para decidir o tipo de juros aplicados no pagamento da dívida.

O estudo mostra que a folha de pagamento em todos os estados ficou 97,28% mais cara nos últimos sete anos – chegando a uma cifra de R$ 238,4 bilhões em 2015. No mesmo período, o custo da dívida com a União cresceu 71,05% – totalizando R$ 54 bilhões.

Crise faz brasileiro trabalhar mais e descansar menos

multitask-02

O Real perdeu mesmo o seu poder de compra.

Os preços dos serviços e produtos estão pelas alturas e o salário suado não está dando para manter a família.

Para dar conta das dívidas, o brasileiro está trabalhando mais e descansando menos – uma péssima alternativa, já que a luz da saúde começa a ficar no amarelo. Algo tem ser feito já!

Governo propõe salário mínimo de R$ 946 para o próximo ano

dinheiro carteiraO salário mínimo no próximo ano deve chegar a R$ 946, valor que consta do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017, a ser enviado nesta sexta-feira (15) pelo governo ao Congresso Nacional. Pela proposta, o salário mínimo terá aumento de 7,5% a partir de 1º de janeiro.

Desde 2011, o salário mínimo é reajustado pela inflação do ano anterior, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB), soma das riquezas produzidas no país de dois anos antes. A fórmula valerá até 2019.

Pela proposta, o salário mínimo passará para R$ 1.002,70 em 2018 e R$ 1.067,40 em 2019. Os reajustes também seguem a fórmula estabelecida em lei.

Preço do combustível volta a subir e pega motorista de surpresa

gasolinaMenos de 48 horas depois de a Superintendência-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) escolher o interventor da Rede Cascol — maior companhia do mercado de Brasília, dona de quase 30% dos postos —, os preços do combustível voltaram a subir. Há aproximadamente dois meses, o MPDFT assinou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a Cascol, no qual limitava o lucro em 15,87%, de acordo com o preço de compra do produto.

Governo regulamenta novas regras para crédito consignado

dinheiro 3O governo divulgou hoje (14) a regulamentação das novas regras para o crédito consignado. Algumas modificações estavam valendo desde o ano passado, primeiramente por meio de medida provisória e depois em lei, sancionada pela presidenta Dilma Rousseff em outubro do ano passado. Agora, estão detalhadas em decreto publicado no Diário Oficial da União.

As mudanças incluem o aumento de 30% para 35% da margem consignável da remuneração mensal dos servidores públicos federais, sendo que os 5% extras só podem ser usados para amortizar despesas com cartão de crédito ou saques por meio do cartão de crédito.

As determinações aplicam-se ainda a empregados públicos com pagamento processado pelo Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (Siape). A categoria inclui servidores de empresas estatais dependentes do Tesouro Nacional, anistiados do governo Collor, servidores do Hospital das Forças Armadas e alguns agentes de endemia, conhecidos como mata-mosquitos. Para eles, a margem consignável é 40%.

Crise na economia brasileira faz consumo de frango desabar

economia-queda-pib-01Com o brasileiro cada vez mais pobre, as vendas de carne de frango estão encolhendo. Dados do Centro de Estudos em Economia Aplicada (Cepea), da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (USP), o encalhe do produto é visível, diante da fraca demanda do mercado doméstico.

“As vendas de carne de frango no país estão abaixo do esperado por atacadistas e varejistas”, disse, em nota, o Cepea. Já as exportações seguem intensas. Para o órgão, uma vez que as vendas aos brasileiros representam a maior parcela do mercado, e estão em ritmo abaixo do esperado, os preços da carne recuam no atacado. No varejo, porém, ainda não houve benefício para os consumidores.

Banco do Brasil tem lucro líquido de R$ 14,4 bilhões em 2015

BANCOS-EM-FUNCIONAMENTO.O Banco do Brasil registrou lucro líquido de R$ 14,4 bilhões no ano passado, alta de 28% em relação ao ano anterior. No quarto trimestre do ano passado, o lucro chegou a R$ 2,512 bilhões. A remuneração aos acionistas atingiu R$ 5,7 bilhões no ano.

O crédito imobiliário atingiu saldo de R$ 49,1 bilhões em dezembro de 2015, crescimento de 26,6% em relação ao mesmo período de 2014. Nesse segmento, o financiamento às empresas cresceu 15,9% em um ano, atingindo saldo de R$ 11,9 bilhões. Aquele voltado às pessoas físicas cresceu 30,5% no mesmo período, com saldo de R$ 37,2 bilhões.