Saúde

Uma taça de vinho por dia aumenta riscos de câncer de mama

vinho mulherAo contrário do que diz o ditado, uma taça de vinho antes de dormir não faz tão bem à saúde. Um estudo encabeçado por pesquisadores da Universidade de Harvard mostrou que um copo de qualquer bebida alcoólica por dia aumenta os riscos de câncer de mama em até 15% em mulheres. As informações são do site Telegraph .

Os dados da pesquisa também apontaram uma relação entre álcool e desenvolvimento de câncer em homens que já foram fumantes em algum momento da vida. Entre mulheres, mesmo aquelas que nunca fumaram, o risco de câncer por conta de bebidas alcoólicas aumenta a cada drinque diário.

Os pesquisadores recomendam que pessoas com histórico da doença na família, especialmente mulheres, devem considerar ingerir níveis de álcool abaixo do recomendado, que seria 15g (cerca de dois copos) para mulheres, e 30g (quatro copos) para homens.

“Sempre soubemos que havia uma ligação entre álcool e câncer, mas esse estudo serve para nos lembrar o quão delicada é essa questão, ainda mais quando a bebida é combinada com cigarro e algum histórico familiar da doença”, afirmou o médico Richard Roope.

A pesquisa também indicou que pessoas que não consomem álcool ou bebem em excesso têm menos chances de ter câncer colorretal, de próstata ou mama identificado em exames físicos. Normalmente, eles praticam menos atividades físicas e têm mais chance de fumarem, o que aumenta os riscos da doença.

O câncer de mama é o com mais chances de se desenvolver em mulheres por conta do álcool. Em homens, é o câncer colorretal.

De acordo com o estudo, em homens, quanto mais álcool é consumido, maiores os riscos de câncer. Já em mulheres, o consumo excessivo, mesmo que a ingestão seja somente em um dia, aumenta as chances da doença.

Os pesquisadores estimaram que cerca de 3,6% de todos os tipos de câncer ao redor de mundo foram causados pelo consumo de álcool, sendo 1,7% em mulheres e 5,2% em homens. (Terra)

Café aumenta chance de sobreviver ao câncer, diz estudo

cafe hojeO consumo habitual de café com cafeína pode aumentar as possibilidades de sobrevivência ao câncer de intestino e proteger os pacientes tratados de uma recaída, segundo um estudo divulgado pela publicação britânica “Journal of the clinical Oncology”.

Um grupo de cientistas descobriu que os pacientes que receberam tratamento e que consumiam altas doses de café – quatro ou mais xícaras ao dia – tinham 42% menos chances de reincidir do que os que não consumiam a bebida estimulante.

O estudo também mostrou como os pacientes que bebiam café tinham 33% menos possibilidades de morrer de câncer ou de qualquer outra causa que os demais.

O médico Charles Fuchs, diretor do Centro de Câncer Gastrointestinal em Boston (Estados Unidos), afirmou ter comprovado que “quem toma café tem um risco menor de voltar a desenvolver câncer, além de a sobrevivência e as possibilidades de cura aumentarem consideravelmente”.

Mortes por hipertensão no mundo sobem 13,2% entre 2001 e 2011

pressao_arterialEstudo da Associação Americana do Coração (AHA, do nome em inglês ‘American Heart Association’), divulgado no 23º Congresso Brasileiro de Hipertensão, que ocorre até amanhã (15), no Rio de Janeiro, revela que, entre 2001 e 2011, a taxa de mortes por hipertensão subiu 13,2% em mais de 190 países, inclusive o Brasil. O congresso é promovido pela Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH).

A diretora da SBH, Frida Plavnik, disse hoje (14) à Agência Brasil que a atualização estatística da AHA indica que a mortalidade por doença hipertensiva aumentou na avaliação global, apesar de ter havido no período pesquisado uma redução de 30,8% na mortalidade cardiovascular.

De acordo com a médica, o estudo destaca a necessidade de aumentar a prevenção à doença hipertensiva. “Controlar a pressão, fazer o diagnóstico precoce e orientar o paciente são cada vez mais importantes”. Segundo ele, o ranking de mortalidade por hipertensão é liderado pela Rússia, com 1.639 mortes entre 100 mil pessoas. Em seguida, vêm a Ucrânia, com 1.521 mortes, e a Romênia, com 969. O Brasil ocupa a sexta posição, com 552 mortes a cada 100 mil pessaos.

Aos 102 anos, gêmeos contam segredo da longevidade: Não ir atrás de mulher

gemeosComer com moderação, beber uma taça de bom vinho todos os dias e evitar ir atrás de mulheres são os segredos de uma vida longa, afirmam os belgas Pieter e Paulus Langerock, os gêmeos mais velhos do mundo. Nascidos em 8 de julho de 1912, os irmãos viveram juntos a maior parte de suas vidas e até hoje mal saem um do lado do outro.

Eles dividem quarto em um asilo nos arredores da cidade de Ghent, na Bélgica. Ambos tomam uma taça de vinho todos os dias. “Dê-nos um Bordeaux, mas de boa qualidade”, diz Paulus a sua enfermeira na casa de repouso para onde os dois se mudaram há apenas três anos. Nenhum dos dois se casou e eles sempre desaprovaram as escolhas um do outro de potenciais companheiras ao longo dos anos.

Vergonha: Faltam medicamentos nas unidades de saúde e farmácias públicas de Pernambuco

Faltam medicamentos nos 24 hospitais ligados à Secretaria Estadual de Saúde (SES), nas 12 farmácias de remédios especializados e nas três unidades de saúde vinculadas à Universidade de Pernambuco (UPE). Os dados estão em um levantamento do Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco (CRF/PE) que será apresentado nesta quarta-feira (12). O relatório aponta ainda a insuficiência no número de farmacêuticos e a falta de estrutura física adequada.

O presidente do CRF, Bráulio César de Sousa, disse que seriam necessários 720 farmacêuticos para manter as unidades funcionando normalmente. No entanto, apenas 208 estão operando. Destes, 75 têm vínculo público. Para a elaboração do laudo foram visitadas, em junho e julho, 72 unidades em 12 gerências regionais de saúde do Estado.

Cardiologistas alertam para os problemas causados pelo colesterol alto

coracao [dropcap]C[/dropcap]onsiderado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia como grave problema de saúde pública, o colesterol alto não tem sintomas, a menos que a situação seja grave. Hoje (8), quando é promovido o Dia de Combate ao Colesterol Elevado, voluntários da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e da Associação de Pacientes com Hipercolesterolemia Familiar estarão entre as 8h e as 16h no Parque Villa-Lobos, em São Paulo, fazendo a medição da dosagem de colesterol e dando orientações sobre alimentação.

A campanha é voltada especialmente para quem tem hipercolesterolemia familiar, ou seja, quem tem o problema de colesterol alto por origem genética. Segundo a cardiologista Tânia Martinez, a doença faz com que os membros da família estejam sujeitos ao infarto precoce, que ocorre antes dos 30 anos e, em alguns casos, até na adolescência. A especialista explica que, embora não haja estatísticas, a estimativa é que uma em cada 250 pessoas apresenta o problema que, se não identificado e tratado, provoca um número muito grande de mortes evitáveis, e principalmente entre os jovens.

Um aviso contra o mau hálito

Mau-halito [dropcap]A [/dropcap]Associação Brasileira de Halitose criou um sistema discreto para uma pessoa avisar a outra que ela tem… mau hálito. Basta acessar abha.org.br.sosmauhalito, cadastrar a pessoa e escolher se o aviso será por carta ou e-mail. A vítima receberá o contato de profissionais para ajudá-lo. O dedo duro fica anônimo”.

Ficar de pé melhora saúde do coração, diz estudo

Passar mais tempo em pé, em vez de sentado, pode melhorar os níveis do açúcar, gordura e colesterol no sangue, de acordo com um novo estudo publicado nesta sexta-feira no “European Heart Journal”. Pesquisadores da Austrália deram monitores de atividade a 782 homens e mulheres, com idades entre 36 e 80 anos. Os equipamentos podiam determinar quanto tempo cada participante passava dormindo, sentado ou deitado, além de caminhando e correndo. Foram analisadas amostras de sangue, altura, peso e circunferência da cintura. Os pesquisadores então estimaram o impacto na saúde de se substituir o período sentado para o em pé ou andando.

— O tempo em pé em comparação com o sentado foi significativamente associado com menores níveis de açúcar e gordura no sangue — afirmou Genevieve Healy, pesquisador da Escola de Saúde Pública, da Universidade de Queensland, na Austrália. — Além disso, substituir o tempo sentado pelo de uma caminhada também foi associada com uma redução na cintura e no índice de massa corporal (IMC).

Duas horas a mais por dia passadas em pé em vez de sentada reduz em 2% os níveis de açúcar no sangue e em 11% o de triglicerídeos (gordura). Já o resultado de se passar duas horas por dia caminhando em vez de sentado reduziu em 11% o índice de massa corpora e em 7,5 cm, em média, a circunferência da cintura. Além disso, os níveis de açúcar no sangue caíram 11% e os níveis de triglicerídios, em 14% por cada duas horas gastadas caminhando.

 

Quem fica sentado muito tempo pode ter problemas circulatórios

sentadoPessoas que ficam sentadas durante longos períodos, em especial em viagens de avião, ônibus e carro, e mesmo em escritórios, estão mais propensas a ter problemas circulatórios. O alerta é da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, que está lançando campanha nacional de orientação à população. A ação será reforçada em agosto, quando se comemora o Dia do Cirurgião Vascular, no dia 14.

“A posição sentada não é anatômica para o ser humano. Anatômico é caminhar ou deitar. O sentar é uma imposição da sociedade e da evolução do ser humano”, diz o presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, Pedro Pablo Komlós. Ele destacou que mesmo quando senta no escritório, no restaurante, em casa para assistir à TV, a pessoa costuma levantar de tempos em tempos, inclusive para ir ao banheiro, e cruza e descruza as pernas. “Existe um movimento. O coração das pernas, que são as panturrilhas [chamadas de barrigas ou batatas das pernas], se movem constantemente no dia a dia”, acrescentou.

Ministério da Saúde facilita acesso à medicação do HIV

aidsO acesso à medicação usada para prevenção após exposição ao vírus HIV será facilitado a partir deste mês. Portaria do Ministério da Saúde publicada no Diário Oficial unifica o tratamento chamado profilaxia pós-exposição (PEP), ofertado após situações de risco.

Até então, o atendimento era diferenciado de acordo com o grupo exposto – profissionais de saúde, vítimas de violência sexual e pessoas que tiveram relação sexual desprotegida – e dependia de consulta a um especialista em Aids. O novo protocolo prevê o uso de quatro medicamentos únicos ofertados em unidades de saúde não especializadas, como prontos-socorros. O objetivo é ampliar o acesso à população de forma geral.

Beijo: médico diz que é mais perigoso que cigarro

beijoPara os beijoqueiros de plantão, uma má notícia: beijar na boca ultrapassou o ato de fumar e beber álcool como principal fator de risco para o desenvolvimento de câncer de cabeça e pescoço. O beijo de boca aberta ou de língua pode passar o vírus do papiloma humano (HPV), que, segundo o cirurgião Mahiban Thomas, do Royal Darwin Hospital, na Austrália, foi responsável por um “tsunami” de casos da doença. Os dados são do jornal Daily Mail.

O HPV é comumente associado ao câncer do colo do útero , há mais de 100 tipos do vírus e apenas oito de alto risco para causar a patologia. “Se você olhar para os números que saem dos Estados Unidos, 70% dos casos de câncer de cabeça e pescoço são devido ao HPV. Se você tem uma infecção por HPV, tem 250 vezes a chance de desenvolver câncer do que alguém que não tem HPV”, disse o médico, que é chefe de cirurgia maxilofacial, de cabeça e pescoço. Ele ainda alertou que o risco de contrair o vírus aumenta com o número de parceiros que beija e que as pessoas também subestimam os riscos associados ao sexo oral.

Dormir pouco é “tão ruim quanto fumar”

como-dormir-melhorAs pessoas que se vangloriam sobre encarar o dia tendo dormido menos de cinco horas devem saber que esse hábito faz tão mal para a saúde quanto fumar, por causa do dano que pode ser causado pela privação de sono, declarou o neurocientista da Universidade de Oxford Russell Foster.

O comentário do pesquisador segue estudos que sugerem que trabalhar no turno da noite acelera o processo de envelhecimento e está ligado ao aumento dos riscos de câncer, doenças cardíacas e diabetes do tipo dois. Foster, diretor do Instituto de Neurociência de Sono e Ciclo Circadiano, apelou para uma mudança de atitudes no sentido de ir dormir cedo.

Medicamento promissor traz uma nova esperança contra o Alzheimer

alzheimer-1Resultados apresentados nesta quarta-feira pelo laboratório farmacêutico Eli Lilly indicam que um novo tipo de droga teve efeitos promissores em pacientes com estágio inicial do mal de Alzheimer. Segundo o laboratório, pacientes que começaram a receber o medicamento de forma precoce beneficiaram-se mais do que aqueles que só passaram a ingeri-lo 18 meses mais tarde.

A nova droga, conhecida como Solanezumab, atua de maneira a impedir a formação de certas placas de proteína no cérebro. Acreditava-se que essas placas estão associadas ao desenvolvimento da doença, por bloquearem as conexões entre células e levarem à perda de tecido cerebral. O êxito do estudo do Eli Lilly reforça essa hipótese e traz a esperança de que se tenha chegado a uma abordagem eficaz para deter a enfermidade.

Especialistas não envolvidos na pesquisa, no entanto, receberam os resultados com ceticismo. Segundo eles, o método utilizado não é universalmente aceito para comprovar que um remédio funciona e não traz comprovação sobre a eficácia de atacar as placas de proteína no cérebro. Outros pesquisadores admitiram dificuldade para interpretar os dados.

Anticorpo brasileiro será usado como droga contra câncer

vitrine(1397)A empresa brasileira Recepta Biopharma firmou um acordo com a norte-americana Mersana Therapeutics para licenciar a tecnologia de produção de um anticorpo monoclonal que poderá ser usado em terapias contra o câncer.

Anticorpos monoclonais (mAbs, na sigla em inglês) são proteínas produzidas em laboratório por um único clone de linfócitos B – um tipo de célula de defesa – extraído de camundongos cujos sistemas imunológicos foram estimulados pelos antígenos de interesse.

Homens abusam do “azulzinho”

viagra [dropcap]C[/dropcap]erca de um terço dos brasileiros de 35 anos ou mais de idade (29%) toma estimulantes sexuais, como o Viagra e similares. E, para melhorar o desempenho na hora do sexo, a maioria arrisca a própria saúde: mais da metade (62%) dos que usam os remédios o fazem sem prescrição médica.

Os dados são de pesquisa da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). Segundo especialistas, quem se automedica pode sofrer com os efeitos colaterais dos medicamentos, como diarreia e dores de cabeça e musculares.

Pesquisa aponta que 51% dos homens nunca foram ao urologista

Falta de tempo e medo foram motivos apresentados por homens que não vão ao urologista em uma pesquisa apresentada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) nesta terça-feira, 14. Segundo o levantamento, feito em parceria com o laboratório Bayer, 51% dos 3.200 homens entrevistados nunca foram ao urologista.

A pesquisa foi feita no dia 24 de junho em oito capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Curitiba, Salvador e Recife – foram ouvidos 400 homens de cada cidade. Os dados foram apresentados como parte das ações da entidade para o Dia do Homem, que será comemorado nesta quarta( 15).

Um dado que surpreendeu foi o alto índice de automedicação em casos de disfunção erétil. “A pesquisa mostrou que 62% dos homens usaram estimulantes sem indicação médica, dos quais 41% por recomendação de amigos e 47% com o objetivo de aumentar o apetite sexual”, informou Carlos Sacomani, diretor de comunicação da SBU, que apresentou os dados.

Embora tenham esse hábito, 71% dos homens – ou 2.272 entrevistados – não sabem quais são os sintomas da andropausa, denominação popular para o distúrbio androgênico do envelhecimento masculino, que é uma das causas da disfunção erétil. “Entre os sintomas, estão a diminuição da libido, depressão, distúrbios do sono, redução da força e da massa muscular”, explicou Sacomani.

Doença que pode matar em poucos dias chega à PB e estaria ligada à dengue

ALPB retorna os trabalhos hoje e deputados devem debater voto abertoAo menos três moradores do município de Cajazeiras, no Sertão paraibano, a 487 km de João Pessoa, contraíram, entre janeiro e junho deste ano, a síndrome de Guillain-Barré, uma doença considerada rara pela medicina, com difícil diagnóstico, e que pode matar em poucos dias, caso não haja atendimento correto. A doença pode aparecer através de vírus ou bactérias e existe a suspeita de que a dengue, a zika ou a febre chikungunya possam desencadear a síndrome, que tem tratamento caro, custando até R$ 234 mil por pessoa.

 

O primeiro caso da síndrome foi registrado no mês de abril deste ano, quando uma escrivã da Polícia Civil em Cajazeiras foi internada em estado grave no Hospital Regional (HRC) com problemas respiratórios. No hospital, a paciente foi diagnóstica com pneumonia e, em seguida, transferida para uma unidade hospitalar no estado do Ceará, onde foi diagnosticada com a síndrome de Guillain-Barré. Cerca de 15 dias depois de iniciar o tratamento, morreu.

 

O segundo caso da doença foi registrado no fim de maio, quando uma jovem moradora de Cajazeiras também foi diagnosticada com a síndrome. A paciente ficou internada em um hospital cearense durante 30 dias e conseguiu vencer a doença. O caso com divulgação mais recente foi registrado no mês de fevereiro em um homem, também morador de Cajazeiras. O paciente teria sido internado no HRC após se sentir mal. Com o agravamento do estado de saúde, a vítima foi transferida para o Hospital Antônio Targino, em Campina Grande.

 

Cigarro mata uma pessoa a cada seis segundos, diz OMS

D75RWRCerca de 6 milhões de pessoas morrem de doenças relacionadas ao tabagismo por ano, afirmou a Organização Mundial da Saúde (OMS). Isso equivale a uma morte a cada seis segundos.

A quantidade é maior que as vítimas da aids, da malária e da tuberculose somadas e deve subir para 8 milhões até 2030, a não ser que medidas rígidas sejam tomadas para controlar a “epidemia do tabaco”.

No relatório A Epidemia Global do Tabaco 2015, a OMS recomendou que governos aumentem os impostos sobre cigarros, sugerindo que 75% do preço de um maço sejam tributos. Há 1 bilhão de fumantes no mundo, mas em muitos países a taxação sobre cigarros é extremamente baixa, e alguns nem têm impostos sobre o produto, afirmou a agência da ONU.

Refrigerante causa 184 mil mortes ao ano no mundo

copo_refrigeranteO consumo de refrigerantes, energéticos, chás gelados e bebidas a base de frutas é responsável por 184,4 mil mortes por ano no mundo. A conclusão é de um levantamento realizado na Tufts University, dos Estados Unidos, com base na análise de dados referentes à ingestão deste gênero de bebida entre os anos 1980 e 2010 em 51 países. Realizado pela pesquisadora Gitanjali Singh, o trabalho foi publicado na última edição da revista Circulation, da Associação Americana de Cardiologia.

Cerca de 75% das mortes acontecem em países pobres e em desenvolvimento. A maior parte ocorre por diabetes. O tipo 2 da doença é associado ao estilo de vida (obesidade e sedentarismo). Segundo o relatório, o consumo de bebidas açucaradas é responsável por cerca de 133 mil mortes entre os diabéticos. Outros 45 mil óbitos são decorrência de doenças cardiovasculares (infarto e acidente vascular cerebral), também relacionadas à obesidade. Outras 6,4 mil mortes são resultado de câncer.

Tratamento contra impotência pode estar ligado a câncer de pele

15cc97e69542b5ee1db93be25e052fe3_dA ingestão de medicamentos para impotência, como o Viagra, pode estar associada a um risco aumentado de desenvolver melanoma, um câncer de pele agressivo, de acordo um estudo publicado nesta terça-feira que não estabelece, porém, uma relação de causa e efeito.

A enzima denominada PDE5, que é o alvo dessas drogas contra a impotência, também desempenharia um papel no desenvolvimento de melanomas.

Diante disso, os oncologistas questionam se as moléculas dos princípios ativos que compõem remédios como o Viagra – as quais neutralizam essa enzima para tratar a disfunção erétil – favorecem a formação de melanomas, explicam os pesquisadores.