COLUNA DO ITAMAR FRANÇA

MAESTRIA, DISCRIÇÃO E LIDERANÇA

Resultado de imagem para PAULO CAMARAO governador Paulo Câmara (PSB) governará Pernambuco por mais quatro anos. As urnas outorgaram o socialista domingo (07), assumir um novo mandato a partir de 2019. Sua reeleição só foi possível porque o socialista se mostrou inteligente e bem articulado, fazendo manobras imprescindíveis. No campo administrativo, viu o declínio do Programa Pacto Pela Vida, a menina dos olhos do seu antecessor Eduardo Campos. No campo político teve baixas importantes a exemplo do senador Fernando Bezerra (MDB), dos deputados Mendonça Filho (DEM), Bruno Araújo (PSDB), Fernando Filho (DEM), além de prefeitos, vereadores e outras lideranças. O fenômeno Marília ganhava as diversas regiões do estado, comprometendo as estruturas palacianas. Com discrição, o socialista suplantou todos os obstáculos. Marília foi rifada, o Pacto Pela Vida melhorou os índices e no campo político, Paulo ganhou novas adesões. No fim, a vitória suada, sem a influência do seu saudoso padrinho político. Eis que surge a mais nova liderança política de Pernambuco.

FALTOU POSIÇÃO DOUTOR!

Resultado de imagem para armando monteiroA falta de uma tomada de posição em relação ao apoio ao candidato à presidência da república deixou o senador Armando Monteiro (PTB) numa situação desconfortante. O petebista se omitiu em declarar voto, na linha adversa do seu principal adversário, que até fez passeata com Fernando Haddad (PT). Ao ter ficado em cima de muro, Armando perdeu o voto do eleitor que gosta de votar casado de cabo a rabo, como diz o matuto. Se tivesse anunciado voto a Bolsonaro (PSL), talvez o resultado tivesse sido diferente, já que o capitão foi majoritário nas urnas do Recife. Há de se entender que o eleitor é inteligente e analisa friamente a posição de cada candidato. Quando ele fica no meio termo, perde dividendos, relembre o caso da candidata a presidência Marina Silva (REDE), que por negligenciar posição jogando a responsabilidade em plebiscito, desidratou, perdendo a confiança do seu eleitorado. A lição não serviu para Armando, que deixou escapar um eventual segundo turno. Uma simples palavra, Bolsonaro talvez tivesse sido o antídoto para a derrota…

3.951 VOTOS A MAIS…

Resultado de imagem para ALINE MARIANOSem conseguir assento na Assembleia Legislativa de Pernambuco – Alepe, a vereadora do Recife Aline Mariano (PP), viu o resultado das urnas apresentar um acréscimo de 3.951 votos, em relação às eleições de 2014, em Afogados da Ingazeira, quando obteve em sua terra natal 2.006 votos sem os apoios expressivos contabilizados neste pleito. Aline obteve 51 votos a mais que Anchieta Patriota (PSB), candidato à época, apoiado pelo prefeito Zé Coimbra. Anchieta não teve o privilégio de trabalhar sua campanha com o jargão de “filho da terra”, mesmo assim obteve uma votação semelhante à de Aline que contou com o apoio do prefeito, do vice-prefeito, de nove vereadores, suplentes, lideranças comunitárias e todos os integrantes da equipe de governo da atual gestão. Apesar de gigantesco, o grupo foi miúdo no quantitativo de votos. Com apenas dois vereadores, um suplente e um ex-suplente de vereador, João Paulo Costa (Avante) obteve quase 2.500 votos. Não se sabe o que falhou, se a coordenação, ou se houve gente que cruzou os braços, ficando na sombra do CHEFE…

NÃO ENCAROU

Resultado de imagem para ALESSANDRO PALMEIRAPor falar nisso, o momento foi propício para o vice-prefeito Alessandro Palmeira aparecer politicamente na condição de articulador e líder do grupo na ausência do prefeito Zé Coimbra (PSB), que não foi poupado do sacrifício. Mesmo enfrentado problemas de saúde, o socialista arregaçou as mangas e tomou para si a responsabilidade de reverter o quadro, já que levantamentos apontavam uma frente de Armando sobre Paulo na terra do presidente da Amupe e do prefeito que obteve em 2016 proporcionalmente o maior percentual de diferença sobre seus adversários no estado. Palmeira poderia ter tomado à rédea da situação e comandado o processo. Assim, em meio a esse contexto, Coimbra se desdobrou, labutou, se estressou e na verdade, fez o que não deveria ter feito…

DECRÉSCIMO

Resultado de imagem para GRAFICO DESPENCAO ex-prefeito de Afogados da Ingazeira Antonio Valadares bem que poderia ter se eximido de se envolver diretamente na campanha de Waldemar Borges (PSB) e Gonzaga Patriota (PSB) neste pleito. Ambos tiveram uma votação bem inferior a 2014. Disposto a discutir a sucessão do prefeito Zé Coimbra (PSB) em 2020, com possibilidade de colocar o nome a disposição do grupo para a disputa, Valadares saiu enfraquecido no processo. Gonzaga Patriota que havia somado 7.299 votos em 2014, conseguiu nesta eleição somente 1.372 votos, uma perda de quase 6 mil votos. Já Waldemar obteve no pleito anterior 1.638 votos e agora em 2018 registrou nas urnas 1.034 votos. Ainda assim, o Cabeça Branca continua sendo a esperança de boa parte dos membros da chamada Frente Popular. Se estiver sem broncas na justiça, não está descartada uma nova disputa pela prefeitura. 

PERDEU 

Resultado de imagem para EVANDRO VALADARESEm São José do Egito, a oposição botou pegada, saindo na frente dos candidatos do atual prefeito Evandro Valadares (PSB). Para governador Armando Monteiro (PTB) suplantou Paulo Câmara (PSB). Os deputados estaduais apoiados pela oposição obtiveram mais votos que os do prefeito, o mesmo se repetindo no campo federal, com uma ressalva> Tadeu Alencar (PSB) foi majoritário. A surpresa foi o petista Rona Leite (PT) que obteve quase 3 mil votos, saindo sozinho sem apoio de lideranças expressivas, como prefeito, ex-prefeito, vereador ou suplente. O fator filho da terra lhe trouxe bons dividendos. A oposição formada por Romério, Zé Marcos e seus aliados, se mostrou forte e competitiva, um prenúncio para 2020. O prefeito Evandro que se cuide!

PERDERAM 

 Resultado de imagem para NEGATIVOApenas duas cidades do Pajeú os prefeitos não fizeram seus candidatos majoritários nesta eleição: São José do Egito e Calumbi, onde a prefeita Sandra da Farmácia (PT) não conseguiu transferir votos suficientes para suplantar os candidatos apresentados pelos adversários. Na antiga São Serafim, os candidatos do ex-prefeito Joelson (PSB) tiveram melhor desempenho nas urnas. O governador e os deputados (federal e estadual) respectivamente ficaram bem a frente dos candidatos apoiados pela petista. Alberto Feitosa (PR) ficou na quarta posição e Kaio Manioçoba (SD) na terceira colocação, perdendo para Augusto Coutinho (SD). Os resultados representam um alerta a Sandra e Evandro se estiver nos seus planos disputar a recondução do cargo…

BRILHOU

Em Custódia, o vereador Gilberto de Belchior (PRTB) mostrou raça e sozinho, sem o apoio de nenhum dos pares, ficou na segunda colocação em número de votos, colado do candidato apoiado pelo prefeito Emanuel Fernandes (PSD) e o ex-prefeito Nemias Gonçalves (PSB). Mesmo com todo aparato administrativo, o apoio da maioria dos vereadores, um ex-prefeito, uma vice-prefeita, a equipe de governo empenhada na campanha, Aglailson Victor (PSB) o candidato a deputado estadual dessas forças políticas, obteve somente 736 votos a mais que Gilberto de Belchior, que fez sua campanha na tora, sem estrutura de campanha. Na verdade, Gilberto foi a grande estrela do pleito em Custódia.

Compartilhe:
Follow by Email
Facebook
Facebook
Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *