Mulher que acusou eleitores de Bolsonaro de agressão se automutilou, aponta laudo

Um caso que gerou repercussão nacional, há duas semanas, ganhou um novo capítulo nesta quarta-feira (24/10). A Polícia Civil do Rio Grande do Sul recebeu um laudo do Instituto Geral de Perícias (IGP) que concluí que a mulher que denunciou ter sido atacada por eleitores de Bolsonaro, tendo o corpo sido marcado com uma suástica (simbolo nazista), se automutilou. 

A perícia apontou que a suposta vítima teve lesões superficiais, contínuas, uniformes e sem profundidade. Isso sugere que a mulher não esboçou qualquer tipo de reação ao ser atacada. Para a polícia, se a mulher não provocou as lesões por conta própria, pode ter tido auxílio de uma segunda pessoa.

Compartilhe:
Follow by Email
Facebook
Facebook
Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *