Powered by free wordpress themes

INÍCIO / Política / Paulo Câmara retira R$ 8,2 mi da habitação para propaganda e é criticado por Priscila

Powered by free wordpress themes

Paulo Câmara retira R$ 8,2 mi da habitação para propaganda e é criticado por Priscila

Sem alarde, o governador Paulo Câmara (PSB) publicou no Diário Oficial do Estado nessa última quinta-feira (15) um decreto em que anula R$ 8,2 milhões que iriam para a Secretaria de Habitação, através da Companhia Estadual de Habitação e Obras (Cehab), e abre crédito suplementar no mesmo valor para a Casa Civil, para a “divulgação governamental em todos os meios de comunicação”. A mudança no orçamento foi criticada pela deputada estadual Priscila Krause (DEM).

Pelas redes sociais, a deputada de oposição, que faz parte da Comissão de Finanças, Orçamento e Tributação da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), afirmou que a Lei Orçamentária de 2017 autoriza gastos de R$ 68,097 milhões com divulgação institucional. Até agora, segundo a democrata, a Casa Civil empenhou R$ 65,29 milhões.

“Diante das dificuldades que tem de alcançar índices de aprovação que possibilitem alguma tranquilidade do ponto de vista político, o Palácio opta por esquecer a crise e turbinar um gasto que, seguindo a peça orçamentária em vigência, já atenderia de forma mais que suficiente as necessidades administrativas. É um decreto que deixa evidente que a crise só é válida, para o governo, nos assuntos que lhe convêm”, afirmou a parlamentar em seu blog. “Falta de bom senso.”

um comentário

  1. BETO GÓES

    ISSO É UMA VERDADEIRA EXCRESCÊNCIA! GASTOS EXCESSIVOS COM PROPAGANDA DE GOVERNO, PUBLICIDADE EM MÍDIAS E OUTROS MEIOS, EM DETRIMENTO DAS AÇÕES GOVERNAMENTAIS É SIMPLESMENTE UMA SEMVERGONHICE IMENSURÁVEL.
    MAIS UMA VEZ O ESTADO GASTA MAL OS SEUS RECURSOS PÚBLICOS, QUE JÁ SÃO PARCOS, ANTE À INFINITA NECESSIDADE PÚBLICA, QUE DEVERIA ELEGER PRIORIDADES, DENTRE A MULTIPLICIDADE DE CARÊNCIAS QUE, COM CERTEZA EXISTEM.
    BOM PARA AS GRANDES AGÊNCIAS DE COMUNICAÇÃO E PUBLICIDADE E OS MARKETEIROS DE PLANTÃO; RUIM PARA O GROSSO DA POPULAÇÃO, QUE PERMANECE SILENTE E RESIGNADA.